suck my cockiness
I'm sorry i'm not an easy person, to be with, to love or to like, i'm so complicated..

Olha, to desativando isso aqui, depois eu vejo o que faço com isso aqui. Amo vocês!

“Veja, eu não vou desistir de você. Mas também não vou te obrigar a ficar.”
Tati Bernardi. 

“Eu tinha quase 16, ninguém me compreendia e eu não compreendia ninguém. Foi em um fim de tarde de junho de 83, na minha adolescência vazia, e a gente mal se conhecia, nos vimos apenas uma vez. Eu realmente não sabia o quanto você tinha facilidade de fazer com que as pessoas se entregassem a você, mas de cara fiquei sabendo o que era ter a vontade absurda de passar não só os fins de semana com alguém, mas passar a semana inteira, o ano inteiro, ou até vida inteira se puder e se der. Bastou um sorriso no meio da fumaça, naquela ruazinha cheia.. Mais cheia de fumaça dos cigarros de pessoas. Você sorriu, sorriu pra mim e veio em minha direção. Minhas pernas sucumbiam e eu estava prestes a sair correndo dali, eu ficava pensando no que ia te dizer quando você chegasse perto de mim. E porque você estava vindo até mim? Logo eu? Mas você era tão, tão linda, tão cheia dos poréns mas tão cheia de você, só de você, era aparentemente estranho nos verem juntos, eramos tão diferentes mas tão próximos, você era defensora dos animais, eu era defensor dos meus cigarros nos fins de tarde, você já estava no segundo e eu ainda repetindo primeiro, você falava alemão e eu ainda no cursinho de inglês. Mas quem um dia irá dizer, que não existe razão para as coisas feitas pelo coração? Naquela tarde você sorriu quando percebeu o meu olhar, o seu sorriso era tão lindo quanto você, e seus olhos castanhos pareciam que estavam sorrindo também. Eu tirei o cigarro da boca deixando a fumaça da última tragada no ar, joguei o toco de cigarro que restou na minha mão no chão rapidamente, e sorri em uma tentativa frustrante de esconder o nervosismo que tomava conta de mim. Você se sentou do meu lado e falou em quase em um sussurro: — Oi garoto do sorriso, como se chama, posso saber? — Jared e você? “Falei como um alivio, não sabia como lhe dar com aquilo que sentia quando você estava comigo, acho que me sentia vulnerável desde então. Mas que droga! Não, não podia ser tão rápido assim, como você conseguia contrariar todas as minhas expectativas e ideias de só me apaixonar depois de saber que aquilo era realmente seguro.” — Bem, meu nome é Cassie. — Pensei que meninas como você não vinhessem falar com caras feito eu. — Meninas como eu? — Sim, você sabe.. Meninas bonitas não gostam de caras como eu. — E gostam de que tipo de cara? — Babacas ricos e bem sucedidos. — Eu não gosto de babacas ricos e muito menos bem sussedidos. — Então do que você gosta? — De idiotas que acham que meninas bonitas gostam de babacas ricos e bem sucedidos. Foi ai que nossa história começou, continua até hoje da mesma maneira. Ainda amo você mesmo com o cabelo todo bagunçado, com olheiras e toda estressada e você ama me ouvir cantando, mesmo que eu seja melhor só tocando. Eu espero que isso só possa melhorar. Que não seja como qualquer uma das histórias por ai, que o nosso pra sempre não tenha prazo de validade, não quero que seja como toda história bonita por ai, que acaba em fim, em mágoa. Que seja a nossa história, que tenha a nossa cara, que tenham brigas mas que também tenham tréguas. Que tenha ciúmes, mas que tenha acima de tudo, amor. Que a gente sempre seja esse casal inconstante, com milhões e milhões de distinções. Que o nosso nós dure até depois do pra sempre como você mesma diz. Mesmo com todos os riscos, mesmo com todos os meus e seus defeitos.”
— Quem um dia irá dizer, que não existe razão para as coisas feitas pelo coração? Malu (de-cepcionar) e Yasmim (mfuckerr)   

“Me recordei rapidamente de todas as pessoas e coisas que perdi por ainda não estar preparada para elas, ou por ainda ter muita curiosidade de mundo e dificuldade em ser permanente. Recordei de amigos e parentes distantes, aqueles que eu sempre deixo pra depois porque moram muito longe ou acabaram se tornando pessoas muito diferentes de mim, sempre penso “mês que vem faço contato com eles”. E se não tiver mês que vem?”
— Tati Bernardi.  

“Nesse momento há 6 bilhões, 470 milhões, 818 mil, 671 pessoas no mundo. Algumas estão fugindo assustadas. Algumas estão voltando pra casa. Algumas dizem mentiras para suportar o dia. Outras estão somente agora enfrentando a verdade. Alguns são maus indo contra o bem e alguns são bons lutando contra o mal. Seis bilhões de pessoas no mundo, seis bilhões de almas… E, às vezes, tudo que nós precisamos é de apenas uma!”
— One Tree Hill.